Downloadhttp://bigtheme.net/joomla Joomla Templates

O bom Samaritano

Lucas 10.25-37 - E eis que certo homem, intérprete da Lei, se levantou com o intuito de pôr Jesus à prova e disse-lhe: Mestre, que farei para herdar a vida eterna? Então, Jesus lhe perguntou: Que está escrito na Lei? Como interpretas? A isto ele respondeu: Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo. Então, Jesus lhe disse: Respondeste corretamente; faze isto e viverás.  Ele, porém, querendo justificar-se, perguntou a Jesus: Quem é o meu próximo? Jesus prosseguiu, dizendo: Certo homem descia de Jerusalém para Jericó e veio a cair em mãos de salteadores, os quais, depois de tudo lhe roubarem e lhe causarem muitos ferimentos, retiraram-se, deixando-o semimorto. Casualmente, descia um sacerdote por aquele mesmo caminho e, vendo-o, passou de largo. Semelhantemente, um levita descia por aquele lugar e, vendo-o, também passou de largo. Certo samaritano, que seguia o seu caminho, passou-lhe perto e, vendo-o, compadeceu-se dele. E, chegando-se, pensou-lhe os ferimentos, aplicando-lhes óleo e vinho; e, colocando-o sobre o seu próprio animal, levou-o para uma hospedaria e tratou dele. No dia seguinte, tirou dois denários e os entregou ao hospedeiro, dizendo: Cuida deste homem, e, se alguma coisa gastares a mais, eu to indenizarei quando voltar. Qual destes três te parece ter sido o próximo do homem que caiu nas mãos dos salteadores? Respondeu-lhe o intérprete da Lei: O que usou de misericórdia para com ele. Então, lhe disse: Vai e procede tu de igual modo.
 
INTRODUÇÃO 
- certo político  disse uma vez a “os homens me julgam hoje, mas a história contará quem eu sou”.
- Se olharmos a história do cristianismo o que ela nos conta? Vemos escândalos, cruzadas sangrenta, vemos perseguições, abuso de poder em nome de Jesus.
- Mas alguém pode dizer isso foi há muitos anos, então vamos ver os dias atuais, vemos escândalos quando a igreja investe o dinheiro do dízimo em fazendas, helicópteros, rede de televisão, vemos a bancada evangélica envolvida em corrupção, vemos cantores evangélicos envolvido em prostituição, 
- Jesus disse que seríamos conhecidos pelo amor que teríamos pelos demais. Jo 13.35 - Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.
- Se olharmos a história, em que momento o cristianismo representou Jesus?
- O mundo te conhece Jesus uma boa pessoa, mas está surgindo uma aversão ao cristianismo.
- Nos evangelhos vemos constantemente em combate entre Jesus e os fariseus.
- Fariseus que eram aqui a manifestação da religiosidade do legalismo e o símbolo da anti-graça.
 
DESENVOLVIMENTO 
1. UMA PERGUNTA COM INTUITO HIPÓCRITA
1.1 O que era um intérprete da lei. 
1.1.1 Um intérprete da Lei era um especialista na explicação das leis de Deus.
1.1.2 Ele não procurava conhecimento nem revelação apenas colocar Jesus aprova.
1.1.3 Ainda hoje encontramos pessoas assim. (Exemplo colega de trabalho)
1.2 O resumo da lei. Lc 10 Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todas as tuas forças e de todo o teu entendimento; e: Amarás o teu próximo como a ti mesmo.
1.2.1  A lei que é inspirada e espirou.
Rm 10.4 Porque o fim da lei é Cristo, para justiça de todo aquele que crê.
Gl 3.24-25 De maneira que a lei nos serviu de aio para nos conduzir a Cristo, a fim de que fôssemos justificados por fé. Mas, tendo vindo a fé, já não permanecemos subordinados ao aio.
1.3 O resumo da lei em Cristo
João 13.34 - Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros.     
 
2. CONTEXTO RELIGIOSO DO TEXTO
2.1 Sacerdotes e levitas eram aqueles que se julgavam justos pela lei diante de Deus.
2.2 O povo de Deus não se davam com samaritanos por serem um povo miscigenado. Contar a história.
 
3. PASSOS DO BOM SAMARITANO
3.1. O samaritano sentiu compaixão do homem caído.
     Trata-se de alguém que ama e que quando tem uma oportunidade de demonstrar amor, não desperdiça essa oportunidade;
3.2 samaritano desceu de sua cavalgadura
Samaritano desviou o seu percurso de suas atividades, compartilhando algo muito precioso chamado tempo.
3.3 O samaritano untou-lhe as feridas
Aquele homem era prevenido, ele tinha óleo em sua bagagem e, untou as feridas a fim de proporcionar alívio;
Quem ama tem sempre em sua bagagem um bálsamo para aplicar às feridas daqueles que sofrem as dores causadas pelo pecado e pelos traumas da vida, seja através de uma palavra, de um gesto, de um abraço...
3.4 O samaritano colocou-o sobre sua cavalgadura
O samaritano compartilhou o recurso que tinha.
3.5 O samaritano levou aquele homem a uma estalagem
3.6 O samaritano pagou a internação e garantiu pagar a diferença quando voltasse
 
4 O CRISTÃO E A VIDA PIEDOSA.
4.1 A verdadeira religião.  Tg 1.27 - A religião pura e sem mácula, para com o nosso Deus e Pai, é esta: visitar os órfãos e as viúvas nas suas tribulações e a si mesmo guardar-se incontaminado do mundo.
4.2 o verdadeiro Jejum. Is. 58.6 Porventura, não é este o jejum que escolhi: que soltes as ligaduras da impiedade, desfaças as ataduras da servidão, deixes livres os oprimidos e despedaces todo jugo?
4.3 Disse Jesus o mesmo. Jo 13.35 - Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros.
4.4 o apóstolo Paulo: Porque somos feitura sua, criados em Cristo Jesus para boas obras, as quais Deus antes preparou para que andássemos nelas.  Ef 2:10
          
5 IDENTIFICANDO O PRÓXIMO
5.1 O próximo é alguém além da minha congregação, além da minha religião
5.2 O próximo é qualquer pessoa, que necessita de ajuda no meu dia dia: trabalho, família 
5.3 Jesus, o próximo é qualquer pessoa além de mim.
 
APLICAÇÃO
- todos nós sabemos o bem que devemos fazer mas a nossa carne não nos permite
Rm 7.18-22 - Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem nenhum, pois o querer o bem está em mim; não, porém, o efetuá-lo. Porque não faço o bem que prefiro, mas o mal que não quero, esse faço. Mas, se eu faço o que não quero, já não sou eu quem o faz, e sim o pecado que habita em mim.
 
CONCLUSÃO 
- A falsa religiosidade é o ato de apenas ter uma religião, praticar rituais ou aparentar ser um cristão. 
- O sacerdote e o levita deveriam exercitar seu amor por alguém que precisava, já que tinham o conhecimento da vontade de Deus. 
- Provavelmente, já que ninguém estava olhando, ignoraram o problema e desviaram o seu caminho, deixando aquele homem ali sofrendo. 
- Mostraram o quão distantes estavam de um relacionamento sério com Deus e com o próximo.
- O samaritano doou-se completamente ao homem que necessitava, empregando cuidado, tempo e até dinheiro. Essa é a atitude que Jesus quer ver. Em outras palavras, Jesus quer ver obras decorrentes da fé e não uma fé vazia de boas obras.
 
- a parábola também descreve três tipos de estilos de vida: do ladrão o que é seu é meu,  do religioso o que é meu é meu, o samaritano o que é meu é teu.
 
ILUSTRAÇÃO
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
E Deus é poderoso para fazer abundar em vós toda a graça, a fim de que, tendo sempre, em tudo, toda a suficiência, abundeis em toda boa obra;  (II Cor 9:8)
 
para que possais andar de maneira digna do Senhor, agradando-lhe em tudo, frutificando em toda boa obra, e crescendo no conhecimento de Deus,  (Col 1:10)
 
Um dos principais alvos do cristão é praticar o bem, o que pode ser feito se nos purificarmos espiritualmente:
 
Se, pois, alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e útil ao Senhor, preparado para toda boa obra.  (II Tim 2:21)
 
 
Fé sem Boas Obras é Morta
 
A ação que tem que acompanhar a fé é a prática de boas obras, de outra forma a fé de alguém estará morta.  O tipo de fé sem obras não é o tipo que salvará alguém do Inferno.  Um exemplo específico de boas obras citado aqui é dar roupas e alimento para um cristão que esteja passando necessidade:
 
“Que proveito há, meus irmãos se alguém disser que tem fé e não tiver obras? Porventura essa fé pode salvá-lo?  Se um irmão ou uma irmã estiverem nus e tiverem falta de mantimento cotidiano, e algum de vós lhes disser: Ide em paz, aquentai-vos e fartai-vos; e não lhes derdes as coisas necessárias para o corpo, que proveito há nisso?  Assim também a fé, se não tiver obras, é morta em si mesma.”  (Tiago 2:14-17)
 
Tiago então conta uma aparente objeção com o seguinte:
 
Mas dirá alguém: Tu tens fé, e eu tenho obras; mostra-me a tua fé sem as obras, e eu te mostrarei a minha fé pelas minhas obras.  Crês tu que Deus é um só? Fazes bem; os demônios também o crêem, e estremecem.  Mas queres saber, ó homem insensato, que a fé sem as obras é inútil?  (Tiago 2:18-20)
 
Tiago prossegue citando o exemplo de Abraão para provar o seu ponto.  Por favor, perceba:  Abraão estava desejoso de deixar de lado o sonho de sua vida através do seu filho Isaac, nascido a partir de um milagre, para obedecer a Deus quando foi testado:
 
Porventura não foi pelas obras que nosso pai Abraão foi justificado quando ofereceu sobre o altar seu filho Isaque?  Vês que a fé cooperou com as suas obras, e que pelas obras a fé foi aperfeiçoada.  E se cumpriu a escritura que diz: E creu Abraão em Deus, e isso lhe foi imputado como justiça, e foi chamado amigo de Deus.  Vedes então que é pelas obras que o homem é justificado, e não somente pela fé.  (Tiago 2:21-24)