Downloadhttp://bigtheme.net/joomla Joomla Templates

O fariseu e o publicano e o câncer da religiosidade - Lc 18

Lc 18:9-14,  9 A alguns que confiavam em sua própria justiça e desprezavam os outros, Jesus contou esta parábola:   10  "Dois homens subiram ao templo para orar; um era fariseu e o outro, publicano.    11 O fariseu, em pé, orava no íntimo: ‘Deus, eu te agradeço porque não sou como os outros homens: ladrões, corruptos, adúlteros; nem mesmo como este publicano.   12 Jejuo duas vezes por semana e dou o dízimo de tudo quanto ganho’.    13 "Mas o publicano ficou à distância. Ele nem ousava olhar para o céu, mas batendo no peito, dizia: ‘Deus, tem misericórdia de mim, que sou pecador’.     14 "Eu lhes digo que este homem, e não o outro, foi para casa justificado diante de Deus. Pois quem se exalta será humilhado, e quem se humilha será exaltado".
 
INTRODUÇÃO
a) Não esquecer que Jesus deve ser o centro de toda pregação;
b) Ilustrar as diferença entre um Fariseu e um Publicano;
c) a verdadeira adoração: Jo 4:23 No entanto, está chegando a hora, e de fato já chegou, em que os verdadeiros adoradores adorarão o Pai em espírito e em verdade. São estes os adoradores que o Pai procura.
d) O evangelho de Cristo e um poderoso ato de libertação do pecado, porém, o espirito de religiosidade sempre irá nos perseguir para nos colocar em um julgo de escravidão. Gl 2:4 Essa questão foi levantada porque alguns falsos irmãos infiltraram-se em nosso meio para espionar a liberdade que temos em Cristo Jesus e nos reduzir à escravidão.
e) a religiosidade é um câncer espiritual, que nos cega impedindo que nós nos enxerguemos como realmente somos.
 
ILUSTRAÇÃO
- Juizes cap 17-18, história do levita de Mica
- II Sm 6  -  Uzá e Aio;
- O outro filho pródigo;
 
DESENVOLVIMENTO
1 Sinais da religiosidade
1.1 Soberba dentro da religião
1.1.2 Frutos da soberba: Justiça Própria;
1.1.3 Falta de piedade e misericórdia
1.1.4 Coração julgador
1.2 Querer agradar a homens (Jo 12:42 Ainda assim, muitos líderes dos judeus creram nele. Mas, por causa dos fariseus, não confessavam a sua fé, com medo de serem expulsos da sinagoga; 43 pois preferiam a aprovação dos homens do que a aprovação de Deus.)
1.3 Idolatria – projeção de si mesmo, uma das obras da Carne de Gl 5;
1.3.1 Misticismo – busca exagerada pelo sobrenatural.
1.4. Envolvimento com a obra de Deus sem compromisso com a visão de Deus.
 
2 Sinais da verdadeira espiritualidade
2.1 Humildade
2.2 Desejo intenso de agradar a Deus e servi-lo
2.3 Adoração em espirito e em verdade
2.4 Jesus tem que ser o centro da nossa fé e adoração
2.5 Reconhecimento de que somos pecadores
2.5.1 Abandono do pecado
2.6 Dar o devido valor ao sacrifício de Jesus
2.7 Buscar o revestimento do Espirito Santo
 
3 Gl 5:22  Mas o fruto do Espírito é:
3.1 amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. 
3.2 Os que pertencem a Cristo Jesus crucificaram a carne, com as suas paixões e os seus desejos. Se vivemos pelo Espírito, andemos também pelo Espírito.
 
CONCLUSÃO
- Para Deus mais vale um pecador arrependido do que um crente politicamente correto mas hipocrita para com Deus, Davi foi um assassino, um adúltero e homicida, mas Deus o chamou de homem segundo o seu coração.
- O publicano foi justificado por que invocou a Deus consciente da sua condição: pecador. Quando o homem reconhece que é pecador, é recebido por Deus por não confiar na carne, confiar que é filho. 
- Tema central desta parábola é sermos perdoados por Deus por reconhecermos nossa condição de pecador.
- Deus é um espelho, quando nos achegamos a Ele é que nós vemos como realmente somos.
 
APLICAÇÃO
- Você quer sai daqui abençoado? Confesse seus pecados a Deus e humilhe se diante da sua mão.